sábado, 26 de março de 2011

Eu não queria chorar, juro. Queria parecer forte, queria que todos pensassem que eu superei isso. Quer dizer, queria que você pensasse que eu superei isso. Mas não consigo, essa dor é mais forte que eu. Tão forte que eu não consigo controlar. Essas lágrimas que caem dos meus olhos são só um aperitivo de como está meu coração.
C
Ontem chorei. Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas. Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda-roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei.
C
Penso tanto em você que esqueço até de mim mesmo sem querer, poder ou dever. Meus pensamentos tentam chegar até você, me faz lembrar da tua voz, do seu jeito, faz com que eu deseje cada dia mais tua companhia, teu carinho, me vem uma saudade dos momentos bons que passei ao seu lado, mesmo sem saber o porque eu gosto muito de pensar em você atraves dos meus pensamentos eu posso ainda te encontrar.­ C